• Kleber Macedo

A psicoterapia nos ensina quais são as nossas obrigações


“Uma grande vida é um sonho de juventude realizado na vida adulta” — Alfred Vigny.

É importante ter um objetivo a ser atingido na própria vida, uma espécie de “eu ideal”, por assim dizer. Um tipo de meta sobre QUEM você quer ser de uma forma geral, não só em profissão, não só como filho, como marido, como mãe etc. Mas um modelo de si em sua forma total.

  • Em quais qualidades você gostaria de ser elogiado nesse ideal de si?

É esse o ponto que responde a pergunta sobre “quem você quer ser?”. Por isso, é preciso ter esses planos claros para nós mesmos. Sabermos exatamente o que queremos. Dessa forma, é necessário analisar e conciliar esses desejos com a circunstância concreta na qual estamos inseridos e que não depende de nós modificá-la. Há uma equação em nossa vida que precisa ser resolvida para que este plano seja atingido.

Viktor Frankl, foi um psiquiatra austríaco, fundador da logoterapia, a terceira escola vienense de psicoterapia. Ficou muito conhecido por retratar sua experiência vivida nos campos de concentração nazista.

Antes da prisão acontecer, Frankl queria ir aos EUA completar seus estudos, mas tinha um dilema, ele também queria ficar com os seus pais para cuidar deles. Quando, num certo dia, ele viu sob os destroços no chão da rua uma inscrição sobre o mandamento de honrar os pais. Ele viu nesse fenômeno um DEVER, uma mensagem de Deus dizendo que ele deveria abdicar desse sonho de sair e ficar com seus pais.

Foi por ter escolhido ficar que ele e sua família acabaram sendo presos, separados e sem saber se se veriam algum dia. Uma escolha que pareceu ter sido a pior de sua vida deu a ele, na verdade, a origem mesma de um dos maiores pilares que a psicologia contemporânea já viu.

Viktor Frankl encontrou, nessa circunstância do campo de concentração, o meio para realizar a maior obra de sua vida. E é isto que temos de fazer: aprender a negociar nossos sonhos com as circunstâncias que nos são impostas. Dessa maneira, conseguiremos efetivar nosso plano de vida. Aceitar de bom coração os elementos desfavoráveis que se apresentam a nós.

“A reabsorção das circunstâncias é o destino concreto do homem” — José Ortega y Gasset.

Esta frase de Ortega y Gasset nos implica exatamente a isso. Nós recebemos elementos de fora, que NÃO dependem da nossa vontade e nós temos de fazer uma equação em que devemos articular esses fenômenos incontroláveis, que se impõem em nossa vida, com a nossa vontade. Fazer isto é o segredo para viver bem. Temos de analisar nossos desejos e as circunstâncias nas quais estamos inseridos. Nossa vida é uma equação entre esses dois fatores: o desejável e o atribuído. Temos de resolver essa equação de modo que o desejável fique em, pelo menos, 51%. Pois o mundo é o mesmo para todos e não escolhemos o meio e as circunstâncias que se apresentam a nós.

Essa é a clareza dos sonhos de juventude que tornam-se realidade na vida madura, este é o fator unificante de nossa vida.


 

Esse texto foi feito por um de nossos profissionais parceiros, Kleber Macedo! Ficou interessado? Entre na nossa plataforma e agende uma consulta com ele :)

28 visualizações

Posts recentes

Ver tudo